Marcelo Costa é jornalista formado em Comunicação Social; editor do seminal Scream & Yell; escreve o blog “Calmantes com Champagne”; colunista do iG Música; editor de homes dos sites iG, iBest e BrTurbo e um dos raros jornalistas que vale a pena ler.

1) Por que o rock?

E por que não? risos. Sinceramente, não tenho resposta pra isso. É algo maior do que eu. Deve ter sido algo antes mesmo de eu nascer. Simplesmente, o zumbido de uma guitarra me faz sentir vivo. Não sei explicar o motivo…

2) Qual o atual papel da grande mídia, quando blogs, podcasts, produtores independentes e inumeros outros meios multiplataformas fazem o mesmo papel que ela e muitas vezes trazem as noticias bem antes que os filtros de divulgação transmitam os acontecimentos?

A grande mídia atinge o grande público. Blogs, podcasts e as demais plataformas são nichos segmentados e direcionados. Existem milhares de pessoas que podem descobrir uma banda pela “Ilustrada”, mesmo com o fato de eu ter falado da mesma banda meses antes no meu blog.

3) No seu blog você sempre mescla cultura pop com literatura e algum inconformismo com a atual situação política. Você acredita que um dia (mesmo que em um futuro longínquo) o panorama vai mudar, incluso aí o pensamento dos políticos?

Eu acreditava que iria mudar quando o PT assumiu o governo e… bem, serviu para nos mostrar que sonhar muitas vezes custa muito, ao contrário do que diz aquele samba-enredo. Agora, uma hora qualquer aparece alguém e nos devolve a esperança, nos coloca no caminho do bem. Não conheço essa pessoa, nem sei se ela nasceu, mas a única coisa que não temos o direito de fazer é desistir. Pelos outros e por nós mesmos.

4) Se você fosse o curador de um grande festival de música brasileiro (de diversos estilos) hoje, quais são as cinco bandas ou artistas que você traria para tocar aqui?

Leonard Cohen, Lou Reed com o show “Berlim”, Radiohead, The National e Wilco.

5) Qual o papel do jornalismo hoje e qual o conselho que você daria para um jovem que hoje decide estudar jornalismo e posteriormente seguir uma carreira cobrindo a área cultural?

Acho que o papel do jornalismo hoje ainda é o mesmo de sempre: reportar a verdade, mesmo que ela lhe custe o emprego. Honestidade e caldo de galinha nunca vão fazer mal a ninguém, sabe. E para os jovens que querem se profissionalizar nessa área o conselho é: seja malabarista! Saiba escrever nessa área e em mais umas cinco outras, pois você vai precisar escrever muito sobre tudo até se estabelecer. E isso não é ruim. Pelo contrário…

Um CD e um filme hoje?

John Cale, “Paris 1919” edição remaster. Um filme… “Acossado”, do Godard. Ainda estou pensando em Paris…

– – – – – – – – – –

“Eu e o Pop Talk Show”: Arthur Dapieve

Anúncios